Translate

domingo, 23 de abril de 2017

DIA MUNDIAL DO LIVRO E DOS DIREITOS DE AUTOR



23 de ABRIL - DIA MUNDIAL DO LIVRO                        
                E DOS DIREITOS DE AUTOR

 Celebra-se hoje, em todo o Mundo, o dia Mundial do LIVRO, iniciativa destinada a promover o livro e combater a iliteracia (palavra distinta). Em todos os dias do ano, nasceram e morreram grandes escritores, só os autores de língua latina e as suas obras preencheriam o desígnio de, em vez do dia Mundial, comemorarmos o ANO MUNDIAL DO LIVRO.

Inicialmente a data escolhida foi 7 de Outubro de 1926, para comemorar o nascimento do autor MIGUEL CERVANTES. Em 1930, a data passou para 23 de ABRIL, dia da morte de CERVANTES. O mundo é assim, é depois da morte que se comemora a vida, o reconhecimento do grande valor de muitas obras literárias e artísticas (alguns autores morreram na miséria) só é concedido depois da morte física.

Este dia emblemático escolhido pela UNESCO, assinala a morte de MIGUEL CERVANTES, o nascimento de VLADIMIR NABOKOV e, também, o nascimento e a morte de WILLIAM SHAKESPEARE. Vá lá…morte e nascimento.

TRADIÇÕES: O Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor é comemorado, desde 1996 e por decisão da UNESCO, a 23 de Abril, dia de São Jorge. Esta data foi escolhida para honrar a velha tradição catalã segundo a qual, neste dia, os cavaleiros oferecem às suas damas uma rosa vermelha de São Jorge e recebem em troca um livro.

MAS LOUVE-SE O LIVRO E A MAGIA QUE ELE CONTÉM, A PALAVRA QUE ELE NOS TRAZ, AQUELE SENTIMENTO DE PARTILHA E CUMPLICIDADE QUE NOS TRANSMITE QUANDO O FOLHEAMOS. TRANSMITIR ÀS NOVAS GERAÇÕES O VALOR DO LIVRO É UMA RESPONSABILIDADE QUE NOS CABE.

VIVA O LIVRO, O LEITOR E O AUTOR, GÉNIO CRIADOR DE ESCRITOS QUE NOS TRANSMITEM CONHECIMENTO, NOS FAZEM SONHAR E POR VEZES VOAR NUM INFINITO MÁGICO.


Depois, encontrei a BIBLIOTECA e perguntei: 
- QUEM ÉS TU BIBLIOTECA?


- Eu sou a guardiã do passado, do presente e do futuro …

Tenho no meu seio, as Memórias dos Homens, o seu imaginário criador da esgrima da palavra, em prosa e poesia.

Guardo dicionários de todas as línguas, enciclopédias e livros temáticos das ciências e artes.

Sou um elo da transmissão do SABER e da CULTURA, alimento regenerador e formador de gerações. O meu conteúdo é o “adubo” que fortalece o HOMEM face aos “ditadores de vão de escada” e de todos aqueles que fomentam a ignorância , tendo em vista a dominação e usurpação da LIBERDADE dos povos.

A CULTURA E O SABER SÃO SINÓNIMO DE LIBERDADE.

- Sabes, disse-me a BIBLIOTECA, agora tenho a minha irmã digital que chega a todos os cantos do MUNDO e me tem ajudado neste “trabalho” incessante, de séculos, que vai resistindo aos que aqui e ali, em diferentes épocas mandaram destruir algumas “células” do meu corpo.

Mas nós resistiremos e em cada canto do PLANETA AZUL HÁ E HAVERÁ SEMPRE UMA BIBLIOTECA QUE ESPERA POR TI !!!

 ARFER

sexta-feira, 21 de abril de 2017

ABRIL EM PORTUGAL É MAIS DO QUE O SOL DA PRIMAVERA


2017 -ABRIL EM PORTUGAL
 
LEMBRAR É FUNDAMENTAL

 
            15705 dias DEPOIS - LIBERDADE?!                                                              

Parece que foi “ontem” que aquela madrugada aconteceu e  nos deu a conhecer o sabor da palavra LIBERDADE, particularmente, aos que nas prisões de Caxias, Aljube ou Peniche, na clandestinidade, nos campos, nas fábricas, nas escolas, nas coletividades, cooperativas e sindicatos sempre resistiram, enfrentando a intimidação e a repressão de um regime fascista, responsável por 13 anos de guerra colonial, pela emigração clandestina de centenas de milhar de portugueses e por uma taxa de analfabetismo não comparável à de qualquer outro país europeu. 

 A esperança que crescia com a Liberdade marcou o início de uma viragem histórica que, hoje, mais do que uma recordação, é uma luta que persiste, um caminho que, ainda, falta cumprir. Muito do que foi jurado em 2 de Abril de 1976, com a aprovação da Constituição da República Portuguesa, não se cumpriu.

 A esta distância não deixa de ser curioso e significativo pensar que no dia 26 de Abril de 1974 todo, ou quase todo o Portugal, era democrata e revolucionário, o que significaria, à priori, que o fascismo, o colonialismo, analfabetismo e a repressão, só faria parte do imaginário de alguns. Esta será a primeira das lições a tirar de como não cumprir a Constituição, por todos votada (com o não do CDS de Freitas do Amaral, delfim de Marcelo Caetano, hoje devoto democrata. 

 Se antes a ANP ou União Nacional representava o poder constitucional e legislativo, até 5 de Outubro de 2015 eram os partidos do “arco da governação” detentores desse poder, que, ainda, falam em “EXAME PRÉVIO” a ações a praticar pelos órgãos de informação, como prenúncio da entrada ao serviço da COMISSÃO DE CENSURA  extinta, exactamente, há 43 anos.

 Com a nomeação do actual executivo, produto das eleições Outubro de 2015 ainda que contra a vontade e os desígnios do anterior presidente da República, respira-se o aroma (ainda que ténue) da esperança de um futuro com futuro.

  Ainda assim, a segunda lição reflete-se na forma como nos acomodámos a uma democracia representativa e nos esquecemos de estar atentos e lutar, no uso do direito que a Lei Fundamental nos confere, em cada momento crucial para o cumprimento dos Direitos e as Liberdades garantes de uma vida melhor e mais justa para todos.

 Com os desgovernos dos que representam os mandantes do regresso ao passado, aguardamos que seja dado fim às filas de cidadãos, que até à poucos meses, estavam à espera de uma sopa. Devido aos desmandos e mandos dos "mercados" ainda hoje, cerca de 100 estudantes por dia desistem dos seus cursos universitários, por não terem como pagá-los. Receio que neste HOJE voltemos a ter “homens que nunca foram meninos”, em que o volume de gente no desemprego  cresce dia a dia, tal como a fome e medo.

 Ainda assim (repito), a ténue esperança  que o governo do meu país me trouxe, faz com que acredite, que valeu a pena, que vale a pena continuar a "lutar".                                                            

 O nosso quotidiano é gerido por uma informação distorcida e eivada de inverdades ( deturpação ou omissão da verdade), onde há dita sem contradita e a presença de políticos e comentadores, hábeis na utilização do tal “Manto diáfano”, que esconde a verdade, é predominantemente usado, porque o mais importante, para eles, é que todos tenhamos a certeza de que a realidade por que passamos, embora injusta é necessária, ou seja temos que aceitar ser, mais uma vez explorados, convictos de que não há outras alternativas. 

 A observação atenta é fundamental (que a memória não seja curta). Com toda a desinformação, restrições dos "ditos Mercados" , ditames de "Bruxelas", o voto será mesmo um exercício de liberdade, neste contexto de manipulação dos portugueses?                                               

 Como prenda de ABRIL (que foi) corresponde a um direito que anteriormente não tínhamos, significando, deste modo uma conquista da Liberdade, mas  não é a arma do Povo, como nos tentam fazer crer, e só poderá ser uma arma do Povo, quando a cidadania for um ato real de participação quotidiana na vida coletiva, quando soubermos compreender o mundo em que vivemos e formos capazes de construir um futuro melhor para todos. Nesta cruzada o conhecimento, a memória e o amor são de facto armas eficazes. 

 Mas lembro que quem nos tem desgovernado nas quatro décadas pós - ABRIL, contam com o apoio do poder financeiro que,  por sua vez, tem sido duplamente recompensado, à custa dos contribuintes e das carências sociais . Poder financeiro que descapitalizou o país (em benefício de alguns) lesando gravemente a grande maioria dos portugueses. Governam como se de um jogo de Xadrez se trate, basta que mudem umas pedras no tabuleiro do poder. Manter o Rei, a Rainha e os Bispos, porque as Torres da resistência estão e são limitadas nas ações que o jogo de interesses impõe e, quanto aos Peões, eles jogam no pressuposto da memória curta,  dos MEDOS que lhe são incutidos  e os levam à sujeição da Lei da Oferta e da Procura em que os peões são vistos como números e tratados como mercadoria negociável e descartável. 

 Se muito protestarem, sacodem-se umas migalhas da toalha da abastança do Poder, com pequenas cedências aqui e ali, a receita é conhecida. A política de benesses e comendas, da cunha institucionalizada, do compadrio e silêncios cúmplices, produtora de ricos cada vez mais ricos e pobres cada vez mais pobres, que tornam este canteiro à beira mar plantado (ora sujeito à ingerência externa – autoridade que o povo não lhe conferiu) no país europeu onde as desigualdades sociais são mais evidentes e se acentuam passo a passo.

 43 Anos depois onde está a Liberdade? Está, pelo menos, na possibilidade de fazer o que neste momento faço, Escrever dizendo o que penso, e "abraçar" causas sem o receio de enfrentar um plenário.

 O conhecimento e o empenho coletivo são as armas mais eficazes para combater o obscurantismo, as ditaduras camufladas que levam às desigualdades sociais, tenham o nome que tiverem.

 Recordar e Viver o ABRIL que floresceu em MAIO, é ter esperança num futuro mais justo, mais fraterno e mais igual. É CONTINUAR A LUTAR PELA LIBERDADE.

  Mas tomai ATENÇÃO,  o meu amigo FERNANDO lembrou-se de me lembrar (e muito bem) da existência da "MÁQUINA DO FUTURO", a dita "geringonça", de que os Ex, ora na oposição parlamentar, tanto falam.
ARFER

 

A MÁQUINA DO FUTURO

Os Donos disto Tudo

(os verdadeiros, que nem sequer conheces)

tinham inventado,

construído e exportado

em direcção ao sul,

uma máquina sofisticada

muito bem oleada,

embalada a primor com laços e uma flor

mas que desembrulhada

e posta em movimento

mais parecia um cilindro

ou rolo-compressor.

Mas os seus mandatários

fizeram uma festa e um grande foguetório

a dizer que era este o transporte ideal

para um povo simplório.

E o cilindro lá foi comprimindo

A vida e os sonhos dos povos do sul.

Onde o sol brilha mais e o mar é azul.

Eis que de repente

esta nossa gente de tão comprimida

achou que era tempo de mudar de vida.

Parou o cilindro, despediu capatazes

e pôs-se a construir o melhor transporte

que formos capazes.

Pode não estar pronto, que o futuro demora,

Mas é mais bonito por dentro e por fora.

Para o amesquinhar,” amigos da onça”

Dizem que o seu nome é a “geringonça”.

Mas há tanta gente que precisa dela

Que a sonha ver pronta p’ra seguir com ela.

Não sendo perfeita, vai-se melhorando

porque este projecto, sendo original,

é feito por nós, é artesanal,

pois é com trabalho que a coisa se faz

e tem um cartaz: “MADE IN PORTUGAL!”

A questão maior que faz afligir os senhores do Norte

é o medo enorme de que a gente a exporte.

Para eles, pode ser muito duro

mas a “geringonça” tem mesmo futuro!             

FERNANDO TAVARES MARQUES

 
E TOMAI ATENÇÃO, AOS "LEAKS" e às "PRIMAVERAS" prometidas.                                           

E acrescento:

“Penso eu, MAIS AGRADADO

Que a GERIGONÇA PARIU

UM PORTUGAL ESPERANÇADO.”

ARFER

BEM HAJA!

terça-feira, 18 de abril de 2017

MONUMENTOS E SÍTIOS ~18 DE ABRIL É O SEU DIA!


DIA INTERNACIONAL DOS MONUMENTOS E SÍTIOS” 2017

18 de ABRIL - dia dos Monumentos e Sítios:

O PATRIMÓNIO que temos, no Campo ou na cidade,

E que ao longo da vida, nós retemos na MEMÓRIA,

Foi marca de gerações, deu-lhes uma IDENTIDADE.

Os Monumentos e Sítios, são os guardiões da HISTÓRIA.

ARFER

A Direção-Geral do Património Cultural, coordenadora nacional do DIMS 2017, em colaboração com o ICOMOS Portugal, convida todas as pessoas a associarem-se a esta comemoração através da participação nas iniciativas que decorrem em todo o país.

Em 2017, o tema proposto para o DIMS pelo ICOMOS Internacional é PATRIMÓNIO CULTURAL E TURISMO SUSTENTÁVEL.

 

POR ISSO, OBEDECENDO AO TEMA ESCOLHIDO, A IMAGEM  EMBLEMÁTICA QUE VOS MOSTRO, RECUPERADA ASSENTARIA, NA PERFEIÇÃO, NUM PROJECTO DE TURISMO SUSTENTÁVEL  DO ESTUÁRIO DO “TEJO”

 

PROGRAMA GERAL DE ATIVIDADES.

Este ano participam no Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, 670 entidades, distribuídas por 176 concelhos do Continente e dos Arquipélagos dos Açores e da Madeira, através da realização de cerca de 910 atividades dirigidas a diferentes públicos (406 Visitas guiadas/percursos orientados; 94 Rotas patrimoniais/ itinerários culturais; 85 Ateliês lúdicos/ oficinas pedagógicas/ workshops; 59 Exposições; 52 Encontros/ Conferências/ Seminários; 50 Espectáculos artísticos, 165 outras atividades).

Anualmente é eleito um tema para celebração, relativo à importância do PATRIMÒNIO (material e imaterial) que deveria contar com a participação de todos como ato de cidadania (obrigatório), em defesa da CULTURA e da IDENTIDADE.

Ainda que o tempo seja escasso, não deixo de lembrar o dia de hoje, a sua importância simbólica e os temas eleitos desde 2010.

             PUBLICADOS

Em 2010 - “Património Rural / Paisagens Culturais”.

O terceiro “Calhau” que tem entre si e o SOL, Vénus e Mercúrio, é tão belo visto do espaço que o cognominaram de Planeta Azul, mas que de facto se chama TERRA e é nela e dela que o HOMEM vive e é parte integrante da sua PAISAGEM.

Com a sedentarização começou a “tirar” da terra 0 seu sustento, primeiro coletivamente, mais tarde “nasceu” o conceito de propriedade e aí foi o princípio do MAL, que veio a dar lugar a contendas, de maior ou menor amplitude, que com a evolução demográfica se vão agravando nos tempos que correm.

A terra, posse de poucos, por vezes ao abandono, contrasta com o interesse de muitos que dela precisam para dela cuidar e tirar dela o seu sustento.

A Floresta e Paisagens Naturais são destruídas por poucos em função do lucro fácil, em contraste com a luta que muitos vêm fazendo na defesa deste Património Natural, que é de TODOS.

LUTEM NA DEFESA DA TERRA, PATRIMÓNIO (material e imaterial) QUE È DE TODOS !!
ARFER

Em 2011 – “A ÀGUA – A CULTURA E O PATRIMÓNIO”:-

Da muralha olho o estuário do Tejo, rio que irmana cidades e foi ponto de encontro, ao longo de séculos, de povos de todo o Mundo, com culturas e credos diversos, criadores de património cultural que devemos preservar.

Do tema eleito : “Agua, Cultura e Património”. Sem água não haveria vida tal como a conhecemos, não teríamos monumentos, nem florestas. A água, fonte de vida, o bem mais valioso, que a ganância do lucro fácil têm desprezado. A poluição atmosférica dos cursos de água e dos mares tem sido intensa, desde o século passado, por isso a cada um de nós cabe a responsabilidade de tudo fazer para garantir a preservação deste bem precioso.

A água é um património que urge, a cada instante, preservar. É um bem público, é de todos e para todos, por isso, insisto, defender este património é lutar pela VIDA.

Sem água não havia vida e assim não havia história
Nem rios, lagos, riachos, ribeiros ou oceanos
Não haveria, presente, nem futuro, nem memória.”

Em 2010 - “Património Rural / Paisagens Culturais”.

O terceiro “Calhau” que tem entre si e o SOL, Vénus e Mercúrio, é tão belo visto do espaço que o cognominaram de Planeta Azul, mas que de facto se chama TERRA e é nela e dela que o HOMEM vive e é parte integrante da sua PAISAGEM.

Com a sedentarização começou a “tirar” da terra 0 seu sustento, primeiro coletivamente, mais tarde “nasceu” o conceito de propriedade e aí foi o princípio do MAL, que veio a dar lugar a contendas, de maior ou menor amplitude, que com a evolução demográfica se vão agravando nos tempos que correm.

A terra, posse de poucos, por vezes ao abandono, contrasta com o interesse de muitos que dela precisam para dela cuidar e tirar dela o seu sustento.

A Floresta e Paisagens Naturais são destruídas por poucos em função do lucro fácil, em contraste com a luta que muitos vêm fazendo na defesa deste Património Natural, que é de TODOS.

LUTEM NA DEFESA DA TERRA, PATRIMÓNIO (material e imaterial) QUE È DE TODOS !!

ARFER

EM 2012 –“DO PATRIMÓNIO MUNDIAL AO PATRIMÓNIO LOCAL”:-partilhar e digerir a mudança”: -

É um dever de cidadania, seja no nosso bairro, aldeia, vila ou cidade alertar para o cumprimento das Leis que obrigam os poderes instituídos a salvaguardar e preservar os legados patrimoniais, marcas identitárias da sociedade de que fazemos parte.

EM 2013
– EDUCAÇÃO+CULTURA=IDENTIDADE;

Este ano para o “Dia internacional dos Monumentos e Sítios”, o ICOMOS Internacional (Conselho Internacional dos Monumentos e Sítios) elegeu como tema de celebração, para 2013, o Património da Educação, tendo em atenção o vastíssimo legado relacionado com a aprendizagem e o conhecimento, que encontra a sua materialização em inúmeros conjuntos e elementos de património arquitetónico, património móvel e património imaterial, de diferentes escalas e valor, e em diversos contextos, espalhados por todo o país.

Nos bens imateriais considera-se a literatura, a música, o folclore, a linguagem e os costumes. A identidade cultural de um povo é reflexo da sua relação com o Mundo, a Natureza, o seu passado, da sua relação com outros povos e outras culturas e do acumular do conhecimento, ao longo da sua história. Não ignorando as suas raízes, a interculturalidade no seu relacionamento com outras realidades culturais, promotoras do desenvolvimento e criadoras da sua riqueza patrimonial.
ARFER

Dia Internacional dos Monumentos e Sítios 2017

A Direção-Geral do Património Cultural, coordenadora nacional do DIMS 2017, em colaboração com o ICOMOS Portugal, convida todas as pessoas a associarem-se a esta comemoração através da participação nas iniciativas que decorrem em todo o país.

Em 2017, o tema proposto para o DIMS pelo ICOMOS Internacional é PATRIMÓNIO CULTURAL E TURISMO SUSTENTÁVEL.

PROGRAMA GERAL DE ATIVIDADES EM PORTUGAL.

Este ano participam no Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, 670 entidades, distribuídas por 176 concelhos do Continente e dos Arquipélagos dos Açores e da Madeira, através da realização de cerca de 910 atividades dirigidas a diferentes públicos (406 Visitas guiadas/percursos orientados; 94 Rotas patrimoniais/ itinerários culturais; 85 Ateliês lúdicos/ oficinas pedagógicas/ workshops; 59 Exposições; 52 Encontros/ Conferências/ Seminários; 50 Espectáculos artísticos, 165 outras atividades).

segunda-feira, 17 de abril de 2017

CAFÉ -- DIA MUNDIAL ---14 DE ABRIL



DEIXEI PASSAR A DATA, mas não perdi o gosto e o hábito de sorver os meus cáfézinhos, dia a dia!
VIVA O CAFÉ "PERFUME DE LIBERDADE"

Seja "Robusta" ou "Arábico"
do Brasil ou de Timor.
Seja forte ou aromático,
quando é feito com carinho,
tem o aroma da FLOR,
no sentido figurado.

No presente e no passado,
sabemos que é verdade,
que é à volta do CAFÉ
que nasce tanta amizade.
Sendo assim já faz sentido,
O convite que te faço ...
VEM TOMAR CAFÉ COMIGO !!!!

ARFER

sábado, 15 de abril de 2017

PÁSCOA 2017

 
                      O "Coelhinho" já foi embora, para que não volte, é bom que não esqueçam,
A "Geringonça" não vai deixar.
 
PASCOA - SEIS LETRAS APENAS

Podemos ser o que quisermos.
Antes de mais, somos o que somos,
Seremos lembrados por tudo o que fizermos,
Com a certeza de que também erramos.
O princípio e o fim é o certo que nós temos.
A razão porque somos seres humanos.

Que o “P” de Páscoa signifique: -         Pão, Paz e Paridade.
ARFER


PÁSCOA
Era sexta-feira.
Mataram o Homem
porque os incomodava.
Nessa sexta-feira
mataram a vida
que não conseguiam entender.
Um gesto gerador
de tanta “mea-culpa”
que foi capaz de corroer a História
até hoje.
E quantos “matamos” nós
simplesmente porque os não entendemos?
A quantos “julgamentos”
Somos chamados a presidir,
apenas vestidos
Da nossa precária condição de seres humanos?
Saibamos assumir a justiça
da vida plena do outro,
antes que a solidão nos mate,
por falta de eco
no coração de alguém
a quem possamos dizer:
- ALELUIA!

De FERNANDO TAVARES MARQUES
 
 BOA PÁSCOA - BOM ANO . COM SAÚDE E MESA FARTA PARA TODOS!