Translate

quarta-feira, 22 de abril de 2015

GLOBALIZAÇÃO - 1ª ETAPA DE UM CAMINHO

22 de ABRIL O DIA DO ENCONTRO COM O FUTURO * Interrogações e certezas.
- Será que El-Rei D. João II, ao firmar o Tratado de Tordesilhas, já sabia da existência de novas terras a Ocidente e a Sul do Equador? – A norte tinha a certeza. E como prova, as idas à Terra Nova dos portugueses na demanda do Bacalhau.

O Caminho da Índia era conhecido devido às informações trazidas por Diogo Cão e pelo seu espião de serviço (007) Pero da Covilhã.

Porque terá rejeitado os serviços que lhe foram propostos por Cristóvão Colombo?

Quanto ao dia de hoje, 515 anos após o achamento do que chamaram de Monte Pascoal, depois Terras de Vera Cruz e mais tarde 1511 (finalmente) Brasil. Esse primeiro contacto entre povos com culturas e hábitos diferentes é descrito de forma brilhante pelo cronista PERO VAZ DE CAMINHA, escrivão de bordo , no qual consta, cito:-“E assim seguimos nosso caminho, por este mar, de longo, até que, terça-feira das Oitavas de Páscoa, que foram 21 dias de abril, estando da dita Ilha obra de 660 ou 670 léguas, segundo os pilotos diziam, topamos alguns sinais de terra, os quais eram muita quantidade de ervas compridas, a que os mareantes chamam botelho, assim como outras a que dão o nome de rabo-de-asno. E quarta-feira seguinte, pela manhã, topamos aves a que chamam fura-buxos. “

Dia 22 de ABRIL:

“Neste dia, a horas de véspera, houvemos vista de terra! Primeiramente dum grande monte, mui alto e redondo; e doutras serras mais baixas ao sul dele; e de terra chã, com grandes arvoredos: ao monte alto o capitão pôs nome – o Monte Pascoal e à terra – a Terra da Vera Cruz” ………………………...

“Deste Porto Seguro, da Vossa Ilha de Vera Cruz, hoje, sexta-feira, primeiro dia de maio de 1500.” Pero Vaz de Caminha” ”(aconselho a leitura do texto integral deste documento histórico, felizmente restaurado).

Este nóvel encontro de povos viria a dar origem à grande amplitude e importância que a língua portuguesa tem, no Mundo.

(Gilberto Freyre justifica o porquê de tão poucos, conseguirem dar origem a esta amplitude do português falado: - “ …a mobilidade e a miscigenação…).

Cá vai a síntese:

A Ocidente o BRASIL, a Oriente Timor.

No meio Angola, Moçambique e Guiné.

Não julguem que me esqueci de Goa, Macau e S. Tomé

E, também, de Cabo Verde, ponto de encontro no Mar.

Povos que têm em comum, o português no Falar.


ARFER